Chefes de facção responsáveis por queima de fogos para comemorar domínio de territórios em Fortaleza são presos


Segundo a Draco, há investigações para mapear os chefes de bairros e municípios do Ceará e desestruturar o avanço desses grupos criminosos.

Dois suspeitos de chefiar organizações criminosas em Fortaleza e Região Metropolitana foram presos na capital nestas segunda (22) e terça-feiras (23), após investigações da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) sobre registros de queima de fogos ocorridos em vários bairros de Fortaleza este mês como parte de celebrações de grupos criminosos em ações de domínio de territórios.

De acordo com o delegado Harley Filho, a Draco vem mapeando os chefes de bairros e municípios do Ceará para desestruturar o avanço desses grupos criminosos.

“No que diz respeito à queima de fogos de artifício, isso é uma resposta pra sociedade e pra criminalidade, que caso isso ocorra, a polícia vai intensificar ainda mais os trabalhos no combate ao crime organizado. E que, de certa forma, prendendo possíveis lideranças locais, isso vai arrefecer também a criminalidade na região”, apontou o delegado.

Suspeitos dominavam bairros de Fortaleza e RMF Carlos da Silva de Sousa, de 28 anos, é apontado como chefe de facção na cidade Guaiúba e, recentemente, teria ganho espaço na cidade de Barreira, segundo Harley Filho.

O homem é suspeito de participar de homicídios ocorridos em Guaiúba e ser mandante de um triplo homicídio em Barreira. Com ele, além de drogas e uma arma de fogo, a polícia encontrou um caderno com o balanço do comércio ilegal de entorpecentes.

Em Fortaleza, Carlos, conhecido como Carlinhos ou “K2”, chefiava o crime na região do Bairro Sapiranga e adjacências.



No dia seguinte à prisão de Carlos, a Draco localizou e prendeu um segundo indivíduo suspeito de chefiar a comunidade da Rosalina, no Bairro Parque Dois Irmãos, em Fortaleza.

Francisco José da Silva, de 38 anos, foi preso na Rosalina, tentou fugir, mas a polícia conseguiu o capturar. Com ele, foram apreendidas quatro armas de fogo.

As investigações continuam, e a Draco permanece mapeando os bairros para localizar os mandantes e responsáveis pelas queimas de fogos.

Fonte: G1
Compartilhar no G+