Isolamento social impediu morte de mais de 9 mil pessoas por Covid-19 em Fortaleza, estima prefeito

No primeiro dia da fase 1 de abertura da economia, nesta segunda, o Centro de Fortaleza amanheceu com movimentação intensa e filas; a recomendação ainda é evitar aglomeração — Foto: José Leomar/SVM

Durante transmissão ao vivo, Roberto Cláudio também explanou que o número de pacientes que precisavam de enfermarias e UTIs por suspeita de Covid-19 caiu neste início de junho.

O número de vidas salvas em razão do isolamento social adotado em Fortaleza superou o número de 9 mil pessoas, conforme estimativa apresentada pelo prefeito Roberto Cláudio durante transmissão ao vivo nas redes sociais na noite desta segunda-feira. O gestor atribui a medida implantada em parceria entre o governo do estado e a prefeitura da capital como a mais importante no controle da transmissão do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Shoppings reabrem em Fortaleza com controle de acesso e movimentação de clientes limitada Fluxo de pessoas em shoppings de Fortaleza não deve ultrapassar 30% da capacidade do empreendimento, diz decreto "Essa certamente foi a medida mais importante de todas. Em um gráfico de estimativas, a gente calcula que mais de 9 mil vidas foram salvas pela redução da velocidade de contaminação em virtude desse isolamento social precoce, sustentado, e é bom que se diga também, apoiado e cumprido pela larga maioria da população de Fortaleza", apontou Roberto Cláudio.

O prefeito, entretanto, reiterou que a indicação de isolamento social permanece, ainda que Fortaleza tenha entrado hoje em sua primeira fase de retorno das atividades econômicas.

Diminuição da demanda por leitos

Em dados comparativos entre os meses de maio e junho, Roberto Cláudio apresentou que os números de pacientes que procuravam postos de saúde e Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) já necessitando de enfermarias ou UTIs sofreu diminuição.

Em relação a pessoas que compareciam à rede de saúde primária e já se constatava a necessidade de encaminhamento a uma enfermaria, enquanto na segunda semana de maio o número chegava a mais de cem, no último domingo (7), houve uma redução para 13 pessoas nessa situação.

Já aqueles em situação mais grave, que procuravam os postos e UPAs com quadro que demandava a internação em uma UTI, caiu de 32 no dia 5 de maio para nenhum paciente neste domingo (7). No sábado (6), somente um paciente teve essas características, enquanto na sexta-feira (5), foram quatro pessoas.

A chegada de pacientes nos postos de saúde com quadros gripais, sejam eles sugestivos de Covid-19 ou por outros vírus, também sofreu redução. No início de maio, em um dia chegou-se a serem recebias 2.139 pessoas. No começo de junho, por sua vez, o número caiu para 634.

Na última atualização da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde, feita às 17h52 desta segunda, Fortaleza chegou a 2.569 mortes registradas. A capital tem até o momento 27.889 diagnósticos do novo coronavírus.

Fortaleza é a única cidade do estado a passar para a primeira fase de abertura da economia, enquanto todas as demais continuam na fase de transição, com quatro cidades da região norte em lockdown.




Fonte: G1 Ceará
Compartilhar no G+