Idoso fica preso em matagal por 24 horas e é resgatado por guardas em Fortaleza


Cidrack Cabral de Lima, 76, saiu de casa para levar animais para pastar, escorregou e não conseguir sair do lamaçal. Ele sofreu ferimentos nas pernas e braços.

Um idoso de 76 anos foi resgatado, na manhã desta terça-feira (7), em uma área de mata no Bairro Canindezinho, em Fortaleza. Ele estava com as pernas presas na lama, segundo informações do subinspetor José Santos, um dos agentes que realizaram o salvamento. Após ser resgatado, o idoso disse que ficou preso por mais de 24 horas na lama.

De acordo com o subinspetor, uma equipe patrulhava a região, quando percebeu o idoso acenando no meio do matagal e tentando falar alguma coisa. Os agentes estacionaram o veículo e foram verificar o que estava acontecendo.



“O local tem muito mato, onde rotineiramente alguns criminosos usam como rota de fuga. A equipe vinha atenta tentando avistar alguma coisa de ilícito e se deparou com a mão [do idoso] acenando no meio do matagal. Imediatamente nós desembarcamos e fomos ver do que se tratava. Chegando ao local verificamos que se tratava do senhor que estava caído no local. Prestamos os primeiros socorros e o senhor foi conduzido até a sua residência e entregue para os cuidados da família”, disse.

Ferimentos nas pernas e braços

Cidrack Cabral de Lima mora no Bairro Granja Portugal e afirmou para os agentes da Guarda Municipal que saiu de casa levar alguns animais para pastar e acabou escorregando.

“Ele informou para equipe que tinha levado alguns animais que ele cria para pastar naquele local e acabou escorregando. É um local de difícil acesso, de muita lama. Nossa equipe teve dificuldade de chegar ao local. Ele acabou escorregando e não conseguiu se levantar. Ele disse que pediu socorro, mas ninguém conseguia ver”, afirmou José Santos.

Apesar de ficar um dia inteiro dentro da mata, o idoso sofreu apenas pequenos ferimentos nas pernas e nos braços e já está em casa com a família. "Ele está bem e apenas algumas escoriações arranhões nos braços e nas pernas", disse subinspetor.

Fonte: G1
Compartilhar no G+